Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - Regional São Paulo

Estudo avalia o enxerto de gordura autólogo para mamas e glúteos

Dada a ampla utilidade e potencial terapêutico da lipoenxertia autógena, os cirurgiões plásticos devem estar familiarizados com seu perfil de segurança e eventos adversos associados. Este artigo, publicado no periódico Plastic and Reconstructive Surgery de junho de 2019, fornece uma revisão crítica da literatura e delineia os fatores de risco associados a várias complicações ao enxertar as regiões mamária e glútea.

A maioria dos eventos adversos está relacionada à necrose gordurosa e requer intervenção diagnóstica ou terapêutica mínima. Volumes maiores do enxerto, como no aumento estético, estão associados a maior incidência de necrose gordurosa.

A segurança oncológica da lipoenxertia é apoiada por múltiplos estudos clínicos com milhares de pacientes com câncer de mama, embora de natureza predominantemente retrospectiva.

Complicações sérias, apesar de serem menos frequentes, incluem êmbolos gordurosos durante o aumento glúteo. A identificação de fatores de risco associados e o uso de técnicas cirúrgicas adequadas podem minimizar a ocorrência de complicações potencialmente fatais.

Leia o artigo completo aqui: https://journals.lww.com/plasreconsurg/Fulltext/2019/06000/Autogenous_Fat_Grafting_to_the_Breast_and_Gluteal.18.aspx

JP na Web